O MViva!, espaço aberto, independente, progressista e democrático, que pretende tornar-se um fórum permanente de ideias e discussões, onde assuntos relacionados a conjuntura política, arte, cultura, meio ambiente, ética e outros, sejam a expressão consciente de todos aqueles simpatizantes, militantes, estudantes e trabalhadores que acreditam e reconhecem-se coadjuvantes na construção de um mundo novo da vanguarda de um socialismo moderno e humanista.

terça-feira, 31 de agosto de 2010

JATENE SENTOU NA CADEIRA?

FHC, MÍCO INTERNACIONAL

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, contou com o ovo e, na campanha de 1985, de olho vidrado no IBOPE posou para fotos na cadeira de prefeito de São Paulo. Acabou perdendo para Jânio Quadros. 

Vem agora o José Serra e acusa a candidata socialista Dilma Roussef de assumir tal postura, o que valeu uma resposta:

"Não só acho injusta como acho que ele está passando, para mim, uma característica do PSDB", assim falou para a PIG em recente entrevista, em São Paulo...

Aproveitou e acusou o candidato tucano de "esconder sistematicamente" o ex-presidente FHC da sua campanha. "Acho de um azar absurdo sentar na cadeira", afirmou. "Não quero ser azarada igual a certos líderes políticos que governaram este País". Falou e disse...

                                ********

Das  Minas Gerais chegam as ultimas pesquisa para o governo do estado na virada mais expressiva da rodada de ontem da pesquisa Ibope/Estado/TV Globo, o candidato do PSDB à sucessão em Minas Gerais, Antonio Anastasia, subiu 8 pontos e chegou a 35% das intenções de voto, contra 33% atribuídos a Hélio Costa (PMDB) - que tinha 38% na pesquisa anterior, feita entre 18 e 20 de agosto.

A pesquisa ouviu 1.806 eleitores, está registrada no TRE/MG sob protocolo 65090/2010 e no TSE sob protocolo nº 26113/2010. 


Aqui no Pará, em pesquisa encomendada pelo O Liberal (TV Globo) entre os dias 24 e 26 de agosto aponta que o candidato do PSDB, Simão Jatene,  teria 43% contra 33% da Candidata petista Ana Júlia. 

A pesquisa ouviu apenas 812 eleitores, está registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Pará, sob o protocolo nº 14954/2010.
 Foi realizada nas regiões Nordeste, Baixo Amazonas, Marajó, Sudoeste, Metropolitana e Sudeste do Pará. 
O interessante é notar que aqui na Região Norte, dentro da  lógica de que seria adotada a mesma metodologia  usada no  Centro Oeste para aferir as opiniões dos eleitores, ocorreu uma desidratação...
Se compararmos o numero de eleitores ouvidos em Minas:1806, com os do Pará,812

Por analogia, deixa-nos  a impressão que faltou  ouvir ou, foi defenestrada, a opinião de pelo menos 1.000 eleitores, para poder conferir a devida proporcionalidade e assim expressar um  nível razoável e aceitável de  representatividade...
Ainda temos pela frente um terço do tempo de campanha, é muita coisa; muita água ainda vai rolar por baixo da ponte nos próximos 30 dias; qualquer cenário intuído pelos institutos de pesquisas estão sujeitos a mudanças reais, feito as nuvens mineiras... 

Somente não poderá Ana Júlia -até por ser a  melhor garantia de continuidade de tudo que já se fez  de melhor, especialmente em nível social e estrutural, em toda a história do nosso estado- se permitir a aceitar a continuidade de alguns equívocos da sua equipe  de marketing... 
Que vem carregando nas críticas ao tucano, pecado que vem contribuindo para transformar em vítima, em coitadinho, o adversário de fala mansa e paternal que  as devolve mostrando -alegre e positivamente - somente  as suas realizações, alem das 'maquetis' de papelão e concepções artísticas das obras que  ele jura, piscando um olho, que irá fazer; tudo sem  poder dar um píu sobre o seu naufragado candidato a presidencia,Jose Serra...

Insistem em apresentar a candidata petista em cenários frios,parados, diante ao plasma das telas, falando em numeros; apostando eles -do marketing- na tática da comparação entre os dois governos e abusando da  figura do presidente Lula, coisa que pode levar a um desgaste  diante ao eleitorado pela vulgarização da imagem do grande lider que é forte mais não é Deus. 

É preciso mostrar mais a candidata em  movimento:nos canteiros de obra, a arquiteta da UFPA de capacete branco, flamejante e altiva ao sol ,analisando as plantas dos grandes projetos, entregando e até pilotando tratores; caminhando vitoriosamente com o povo dos municípios que já visitou;nas motos carreatas com o foguetório militância pelas ruas; na alegria dos 'vermelhaços' e,
aproveitar ao máximo a sua condição de mulher e mãe, para aparecer  naturalmente transitando na Santa Casa, no Ofir Loyola,olho no olho com o depoimento de gente nossa,gente simples. 
Seria uma acelerada para uma vitória tranquila...
É preciso imprimir mais entusiasmo !

domingo, 29 de agosto de 2010

A Barca

O MVIVA, orgulhosamente, oferece aos seus leitores e visitantes neste  belo domingão agostiniano com gostinho de chuva e ainda sabor verão, aquela que é a canção mais executada em todos os tempos no planeta terra... Ela vai para todos aqueles que sabem que, sem amor -com ou sem paixão-não da para viver,não da para ser Feliz...Tenham todos um bom domingo!

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

REMISTAS,GUARDEM O NOME DESTE TRAIRÃO DO PESCADOR!


Diante desse novo informe dando conta que o presidente temporário do nosso amado Clube do Remo fechou a venda -a preço de banana- do nosso Estádio com duas construtoras, resta-nos somente expressar um muito doído sentimento de perda.

Se assim o digo é porque, junto com o estádio, se vai um bom pedaço da lembrança que pertence a todos os  homens e mulheres de Belém.

Essa perda que sofremos pela arrogância e presunção de um trairão amarelo que é apoiado por um grupelho que não dispõe de representatividade numérica suficiente para expressar a vontade da torcida, é uma verdadeira ofensa para aqueles que amam o futebol dessa terra...

O duro é o dito popular do qual tentamos nos livrar de que 'o Pará  é a terra do Jateve', coisa que hoje teremos que enfrentar diante dessa solução simplória de um apático dirigente.
 
O que na verdade faltou ao Sr. Amaro Klautau foi falta de movimento; sobrou preguiça, indolência e acima de tudo, respeito com o patrimônio conquistado por gente de moral com espírito de luta, machos que ao longo de suas existências, não cederam a rogos e lastimas e foram implacáveis no objetivo de adquirir e construir esse  monumento presenteando-o para a sociedade paraense. 

Lamentavelmente, o  fruto do suor dessa raça altiva representado ali naquele patrimonio, o Sr Klautau entregou com uma  rápida canetada para a única força que o fez sair do estado de letargia em que se encontrava: a imperial força do mercado imobiliário, que cobiçava há anos o valioso terreno do clube do Remo situado na principal avenida da capital da Amazônia.

Essa mancha de vendilhão do Estádio Evandro Almeida, o seu nome vai carregar para sempre, porque é este um fato que não pode se desenredar da história da nossa cidade e de nosso amado povo. 

O mais triste será constatar que a transação -como mais tarde veremos- não vai resolver os problemas do clube, possivelmente tudo Vai continuar na mesmice de sempre.

A nação remísta esta de luto! .

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

BANDA VOID NO FEST ROCK ANANINDEUA NESTE DOMINGO !

Deu no Blog Juventude Campo e Cidade e o MVIVA divulga, por acreditar que o rock é libertário e civilizador...



Histórico:

"No dia 27/09/09. Os jovens músicos William  e Denilson  assistiam a uma apresentação de bandas na festividade de uma igreja. Neste momento, colocaram como objetivo tocar na festividade no ano seguinte.

Em Março de 2010, a dupla resolveu de fato formar uma banda.

Saíram em busca de integrantes, convidando primeiramente Dhiord -que deu a idéia de colocar as meninas- trazendo para o grupo uma nova integrante, Larissa. Um tempo depois, concluindo a banda, entrou Gabriel no teclado e Nikki, para complementar vocal com a Larissa.

No dia 19/04/10 foi escolhido VOID como nome da banda, pronto pra fazer shows e agitar a galera!"



▪ Data de Fundação da Banda: 19/04/2010

▪ Bandas de influência: Capital Inicial, Luxúria, Leela, CPM 22

Integrantes da Banda:

▪ Monique Sousa (Nikki) _ Vocal

▪ Larissa Valadares (Lara) _ Vocal

▪ Dhiord Ransen (DHI) _ Guitarra

▪ Denilson Coelho (Deny) _ Contra Baixo

▪ William Andrade (Will) _ Bateria

▪ Gabriel Lorran (Lord) _ Teclado


VIVA A JUVENTUDE ! VAMOS ASSISTIR A APRESENTAÇÃO DA VOID !                   

A DIFERENÇA ENTRE LULA E OS DEMOTUCANOS

Quem mandou vender a Vale foi o Serra (segundo o FHC)

A União limitou a compra de terras por estrangeiros. O presidente Lula aprovou parecer da Advocacia-Geral da União que dá nova interpretação para uma lei de 1971, impondo regras para a venda de imóveis rurais a empresas com sede no Brasil controladas por estrangeiros, o que hoje não existe.


Publicadas no “Diário Oficial da União” ontem, as novas regras já estão em vigor.


Além de autorização do Incra para adquirir imóveis rurais, as empresas comandadas pelo capital externo não podem comprar mais de 25% das terras de um município nem fazer aquisições para projetos agrícolas, pecuários e industriais se esses objetivos não estiverem nos estatutos das companhias.


Está proibida ainda a venda de terras de mais de 250 hectares a 5.000 hectares, dependendo do Estado. As empresas estrangeiras perdem assim a igualdade que tinham em relação às empresas de capital nacional.


A AGU justifica a medida dizendo que “a crise de alimentos no mundo e a possibilidade de adoção, em larga escala, do biocombustível são os novos vetores dessa abordagem estratégica da questão da propriedade de terras no Brasil”. A decisão de aprovar o parecer, porém, demorou quase dois anos.


O texto -de setembro de 2008- coincide com o início da crise global. Apesar da disposição do governo de controlar a presença estrangeira na Amazônia, avaliou-se que era preciso esperar o melhor momento para impor limites à compra de terras.


Enquanto os demotucanos, FHC, José Serra, Kátia Abreu, entre outros sempre foram favoráveis a não ter limites para a venda de terras a  empresas e investidores estrangeiros, o presidente Lula limita a venda.


Celso Jardim (com informações de Fernanda Odilla)

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Tá AQUI !!!: PRA BOTAR ORDEM NO TERREIRO....

Pedrinho Cavalléro,Alcyr Guimarães,Ligia (La Diva) Saavedra e Nego Nelson

O MVIVA, ORGULHOSAMENTE, APRESENTA ESSE FLAGRANTE PORRÊTA E, FAZ SUA JUSTA HOMENAGEM AOS ARTÍSTAS DA NOSSA TERRA, MUI ABENÇOADA COM TANTOS TALENTOS... BREVE POSTAREMOS MAIS...E MAIS...! AGUARDEM !. APRECIEM AGORA UM VIDEO PIRATA FEITO POR UM SUPER FÃ NO SHOW "ALÉM DOS MUROS",  QUE  LA DIVA APRESENTOU NO INÍCIO DESTE ANO E QUE ESTA RODANDO O MUNDO...  

O papelão e o papel da direita


*Por Flavio Aguiar

A pulverização da frente partidária de direita no Brasil pode fazer surgir um novo pensamento conservador, renovado e um pouco mais arejado do que o dessas direitas atuais, que deixaram de ser conservadoras para se tornarem amplamente reacionárias.

Não sabemos ainda o que exatamente vai acontecer nas eleições de outubro. Os prognósticos, para nós das esquerdas – os nós que não nos entravamos nos nossos nós – são muito bons: vitória de Dilma, seja no primeiro ou no segundo turno, estabilização de Marina da Silva, que poderá se livrar da incômoda e completamente auto-centrada política de Gabeira, Plínio mantendo sua dignidade exemplar e, quem sabe, neutralizando o poder de biruta de aeroporto da atuação de Heloisa Helena junto às extremas. Mas tudo isso são prognósticos, a serem passados a limpo pelo crivo de outubro.

Pois é, mas e as direitas? É preocupante o estado das direitas. Estão fazendo um papelão. Essa é a moldura do excelente artigo do Nassif transcrito aqui nesta Carta Maior. Concordo no todo e discordo em parte do artigo. Não se trata de saber se Nassif é neo-tucano ou sei lá que bobagem dessa ordem. Trata-se de pensar no rigoroso problema que ele levanta.

Esse problema é, no fundo, o de observar o jogo político um pouco além do tabuleiro eleitoral. Este, sem dúvida, é importante. Mas o que está acontecendo por debaixo desse tabuleiro, como as engrenagens estão se movendo e como vão atuar sobre as peças do xadrez partidário?

É óbvio que está havendo um descolamento progressivo dessas direitas que hoje atuam ostensivamente, de suas bases tradicionais. Estas estão se movendo sim – não necessariamente para a esquerda, mas para cima. A política do governo Lula, combinando estabilidade financeira, monetária e fiscal com transferência de renda e de foco dos investimentos, está provocando uma ascensão social de monta no país.

Isso não significará necessariamente no futuro uma sociedade “mais progressista”. Pode prevalecer, e prevalecerá em parte desse grupo ascensional, que envolve diferentes níveis de renda, o complexo da Arca de Noé: “eu e os meus nos salvamos; agora fechemos as portas, porque aqui não cabe todo mundo”.

As direitas brasileiras – ofuscadas por seus sentimentos oligárquicos no caso da mídia corporativa, ou fascinadas, no caso dos políticos, pela ameaçadora perda do poder governamental por mais alguns anos – não conseguem perceber esse movimento, nem suas possibilidades, nem o que isso representa.

Por isso, provavelmente, serão duramente castigadas nas próximas eleições. A frente partidária de direita será pulverizada, se nada de novo acontecer.

Aqui tenho uma discordância com a visão de Nassif, de que isso poderia ser necessariamente ruim. É a chance de surgir, não das cinzas, mas com base naquele novo quadro social emergente, um novo pensamento conservador, renovado e um pouco mais arejado do que o dessas direitas atuais, que deixaram de ser conservadoras para se tornarem amplamente reacionárias, vivendo num mundo virtual em que só elas e seus apaniguados mais empedernidos acreditam.

A expressão acabada dessa cegueira é a tentativa de transformar José Serra em “Zé”, mais a favela virtual criada por sua campanha.

Uma direita mais “moderna” – se isso é possível – começaria por se tornar mais independente em relação à mídia corporativa que é autoritária em relação aos mais fracos – o sofrido povinho e o temido povão, que são dois lados da mesma moeda dos seus pesadelos – enquanto corteja e tenta acaudilhar pela representação os mais fortes. 

Adotaria uma posição mais aberta ao diálogo na América Latina e no mundo inteiro, ao invés de ficar brincando de Guerra Fria à antiga, vendo mocinhos e bandidos em tudo e se pondo no papelão de novo de assumir a defesa da cavalaria americana contra os índios hostis do resto do mundo.

Uma direita mais moderna prestaria mais atenção no Santos de hoje do que no Uribe de ontem, e digo isso por mais que não tenha qualquer simpatianem empatia pelo primeiro e apenas completa e total antipatia pelo segundo. Trata-se isso sim de fver o que eles representam hoje, qual o seu papel.

Não sei como seria o pensamento dessa “nova direita”, pois certamente não pensaria com nem como ela. Mas seria mais interessante do que isso que aí está.

Sem essa renovação “do lado de lá” as esquerdas tenderão a aprofundar suas divisões, porque a pressão social advinda do novo e mais complexo quadro social emergente assim as pressionará. A velha direita, massacrada, terá a tentação de renovar o cortejo às soluções autoritárias ou ditatoriais. Uma parte das “novas classes” emergentes poderá sair em busca de líderes popularescos, no estilo Berlusconi.

De todo modo, momentos interessantes estarão pintando no horizonte, se Dilma ganhar do jeito que parece que pode ganhar.

*O autor é correspondente da Carta Maior em Berlim

CENSURA:TRUCULÊNCIA COM A FRANSSINETE


Uma das qualidades daqueles que são miúdos de espírito -e imaginação-  é expressar-se através da truculência.

Cabe a quem pretende-se instruído e pretende governar um povo pacífico como o paraense, a abdicação da arrogância e da dura evocação da lei.

Poderia, perfeitamente, ter o candidato lançado mão do seu legítimo direito de resposta em sinal de elegância e consideração com a inteligencia de tantos que acompanham os noticiários e lidam com as contradição diárias publicadas na chamada grande imprensa e, mais que nunca, nos blogs.

Com a torção violenta dos músculos e preferindo contender, desconsiderando o subentendido, o homem candidato a mandatário papa-chibé deixou escapar a oportunidade de dizer o contrário do que pensa; de contestar, de alegar professoralmente,como gosta de fazer,contra tudo o que se disse. 

Por ter sido dramático,o seu gesto nada adicionou de positivo a seu favor... 

Pelo contrário, provocou uma ação que teve o efeito de mobilizar a consciência  de todas das pessoas que se identificam com a defesa da liberdade de expressão e não aprovam mais esse tipo de doutrina ou princípio baseado na força do  porrete e da toga, por não convencerem nem esclarecerem melhor que as próprias palavras do ofendido. 

Não se sustentar na base das ideias, nem se explicar com os milhares de eleitores e  com a sociedade -fora a opção dos tribunais- deixará a impressão que a atitude que foi tomada pelo candidato é coisa de gente que quer tornar-se dono da verdade por decreto e que, 

possivelmente, tenha consumido o seu tempo precioso com alguma coisa  de carater pessoal ligado a raiva, ao ódio ou ressentimento, por ter sentido-se injuriado e afrontado com  algum tipo de  indesejada verdade proferida.

domingo, 22 de agosto de 2010

DIREITONA PAPA-CHIBÉ ATACA...


Essa estória dos carros locados para a policia militar paraense é coisa que ninguém aguenta mais ouvir falar:o povo já esta de saco cheio com tanto falso xôrôrô!.


Esta na cara, essa coisa esta sendo alimentada pelo bloco de partidos da direitona papa-chibé demotucana, políticagem eleitoreira,  com o intuito de prejudicar a imagem da candidata a reeleição ao governo do estado.


Isso - a locação dos veículos- é parte da solução que foi encontrada emergencialmente para fazer frente a onda de violência crescente em nossa terra e a população esta adorando...


Quanto a fiscalização dos atos do executivo,como em toda democracia, possue os seus mecanismos de controle que, estão bem atuantes...


Sendo que, não cabe a governadora -como desejam alguns- o dever institucional de prender,mapear,investigar e interditar quem quer que seja...


Essa prerrogativa pertence a Polícia Federal Brasileira ao Ministério Público,ABIN ; jamais a governadora do estado.


Será que é  preciso explicar e justificar para o cidadão comum, especialmente o da capital, que  reequipar a força pública de segurança que em nível material e humano e impreterível?...


A frota,todos o sabem, não passava de um lote de sucata velha;que fazia mais de uma década que a tropa estava engessada e desidratada em nível humano...




RÁDIO TABAJARA



Não faz tempo uma rádio que tem abrangência nacional, aquela que troca a notícia, montou uma teatrinho novela no estilo do "O Bem Amado"  criada pelo Dias Gomes.


A intenção clara era associar  a imagem do Hilário prefeito de sucupíra com Lula: não colou,as pessoas que ouviram a troça a consideraram de mal gosto e a audiência foi pífia.


Leio em alguns blogs que a Radio Tabajara foi fechada pela ANATEL para a tristeza de seus muitos ouvintes.


Repilo qualquer tipo de violência Lamento profundamente todas as vezes que um meio de comunicação é silenciado, mesmo que este não tenha um conteúdo de bom nível em sua programação.


Quem deve julgar se deve ou não ouvir é o povo, soberanamente.


O que não acredito é que a ação da ANATEL tenha sido levado a cabo por uma vingativa iniciativa de Ana Júlia.


Parece falso, digo porque sou radialísta e aqui, em Ananindeua, onde fiscalização da agencia é constante estamos sempre de orelha em pé.


Se esclareço assim é porque, todas as vezes que ela, a governadora, vem ao nosso município, faz questão de  prestigiar os comunicadores das rádios comunitárias presentes, concedendo entrevistas ao vivo e sem nenhum tipo de discriminação.


Isso é importante pois vivemos na clandestinidade e somos parte de  uma resistência que vive em estado de alerta total para não ter equipamentos apreendidos...


Por varias vezes tivemos que tirar a radio do ar, as pressas ,por conta de alertas emitido por colegas de outras rádios, ouvintes e admiradores que ligavam nos avisando da indesejada presença do "rapa".


O fato é que a grande maioria das rádios comunitárias,como parece ser o caso da Tabajara, ainda não possuem autorização legal para operar e, como ninguém esta acima da lei, estão sujeitas a terem seus equipamentos confiscados,correndo portanto, um risco constante de rastreamento.

SHOW DO REGINALDO VIANA,DE GRAÇA!

Olá leitores e visitantes do MVIVA, todos estão convidados para me assistir dia 2 de  setembro no Hilton Belém. A entrada é franca...Espero por voces, um grande abraço!

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

ELEIÇÕES 2010: FRAUDE ?

O desespero bateu tão forte na equipe do candidato Serra que, depois de muito pau quebrado e centenas de xícara de café forte e copo d'gua com aspirina,decidiram que o tucano só teria uma saída para não fazer muito feio quando fosse derrotado Logo no primeiro turno das eleições 2010: aparecer ao lado do Lula. 
 
E assim,no programa eleitoral de ontem, lá estava o psdebísta Paulista, logo na abertura na clássica imagem de "colação", na marra,l ao  lado  do líder operário.
 
A frase escolhida pelos marketeiros para representar a surpresa que causaria ao eleitor mais humilde não poderia ser outra: "Serra e Lula, dois grandes líderes !". 
 
A sacada é de desespero e contraditória?tudo bem. Mas tinha  uma outra saída para essa turma do 3% que encontram-se no lado de lá, apoiando a plataforma DEMO-tucana, incluindo os Bonner's e toda a grande imprensa? em que condição  fazer frente aos 97% de aprovação que estão do lado de cá, com Lula e Dilma?.
 
Além do que, já houve uma  debandada geral dos candidatos para governador em diversos estados que, antecipadamente, adotaram a solução "colar no Lula".
 
É uma turma altamente pragmática que não dorme no ponto...
 
Os candidatos a federal e estadual pertencentes a coligação tucana também não mencionam o candidato Jose Serra, que é para não atrapalhar a desfaçatez que praticam diante ao eleitor humilde... 
 
Aquele que não faz a ligação entre os candidatos majoritários e o candidato que esta alí, na sua rua e na sua tela pedindo o seu voto. 
 
É ENGANADO e subtraído de qualquer possibilidade de mudança do destino que ele supunha conter em seu voto ligado a imagem do presidente petísta.
 
É charlatanísmo, é fraude e acima de tudo parece caracterizar infidelidade partidária deslavada. Cadê os fiscais da lei ?

'POR A CAOS", ESTREIA HOJE !

Espetáculo "Por a caos"
ESTRÉIA - 20 DE AGOSTO

TEMPORADA: 21, 26,27,28 DE AGOSTO e 04,05,11,12,18,19,25 e 26 de SETEMBRO
Horário das apresentações - 19:30h

LOCAL: BAR LE MARCHAND
Endereço: Braz de Aguiar, quase esquina com a Quintino.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

TRAIRAGEM !:DIREITONA JÁ ABANDONOU SERRA A PRÓPRIA SORTE.


Julia Duailibi - O Estado de S.Paulo
No primeiro dia do horário eleitoral gratuito dos candidatos a governador, o presidenciável do PSDB, José Serra, foi ignorado pela maioria dos aliados que dão sustentação a sua candidatura à Presidência. A candidata do PT, Dilma Rousseff, aparece logo depois do presidente Lula como a principal estrela nos filmetes.
Levantamento feito nos programas na televisão que foram ao ar ontem, às 13 horas, em todos os Estados - exceto Rondônia - e no Distrito Federal, mostra que o tucano foi citado explicitamente, e uma única vez, por apenas um candidato: o paulista Geraldo Alckmin (PSDB).
Principais aliados do tucano em Estados considerados estratégicos não fizeram uma única menção à sua candidatura. Foi o caso dos candidatos na Bahia, no Rio Grande do Sul e até em Minas Gerais, onde Serra apareceu apenas num clipe que ilustrava o jingle do candidato a governador, Antonio Anastasia (PSDB).
Serra apareceu ainda num clipe de Marconi Perillo (PSDB), em Goiás, e teve seu nome mencionado por um locutor, no fim do programa do tucano Sílvio Mendes, no Piauí.
Candidato a governador no Paraná, o tucano Beto Richa exibiu imagem de Serra, mas também destacou que, mesmo na oposição, fez boas parcerias com o governo federal enquanto prefeito de Curitiba. Políticos historicamente ligados ao tucano, como os candidatos no Espírito Santo, Luiz Paulo Vellozo Lucas (PSDB), e em Pernambuco, Jarbas Vasconcelos (PMDB), também não falaram de Serra.
O advogado do PSDB, Ricardo Penteado, disse que entrará com representações no TSE contra campanhas em alguns Estados, como Santa Catarina, por fazerem propaganda de Dilma no horário dos governadores. "Você pode mencionar a candidatura que apoiará. Mas é ilegal usar o espaço para referências elogiosas a outro candidato", disse.
Dilma foi citada ou teve sua imagem exibida por candidatos em 17 Estados. Na Paraíba, tanto José Maranhão (PMDB) como Ricardo Coutinho (PSB), que está coligado com o PSDB, exibiram a governista.
Estrela. A maioria dos candidatos nos Estados, inclusive os que, em tese, dão palanque ao presidenciável, preferiu citar ou exibir o presidente Lula em seus programas - esse fenômeno já havia aparecido na eleição de 2006, mas na época Lula era candidato à reeleição.
Lula foi citado ou apareceu nos programas de candidatos em 23 Estados. No programa do candidato do PMDB em Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, que dá palanque a Serra, quem aparece na TV é Lula, inaugurando obras. No programa de Zeca do PT, no mesmo Estado, Lula foi citado 11 vezes, e Dilma, 5.
Com uma candidatura com menos capilaridade que a de Serra, a candidata do PV, Marina Silva, tem mais exposição dos aliados que ele. Apareceu ou foi citada em oito programas de candidatos.


domingo, 15 de agosto de 2010

10 FALSOS MOTIVOS PARA NÃO VOTAR EM DILMA


Tenho alguns amigos que não pretendem votar na Dilma, um ou outro até diz que vai votar no Serra. Espero que sigam sendo meus amigos. Política, como ensina André Comte-Sponville, supõe conflitos: “A política nos reúne nos opondo: ela nos opõe sobre a melhor maneira de nos reunir”.
Leio diariamente o noticiário político e ainda não encontrei bons argumentos para votar no Serra, uma candidatura que cada vez mais assume seu caráter conservador. Serra representa o grupo político que governou o Brasil antes do Lula, com desempenho, sob qualquer critério, muito inferior ao do governo petista, a comparação chega a ser enfadonha, vai lá para o pé da página, quem quiser que leia. (1)

Ouvi alguns argumentos razoáveis para votar em Marina, como incluir a sustentabilidade na agenda do desenvolvimento. Marina foi ministra do Lula por sete anos e parece ser uma boa pessoa, uma batalhadora das causas ambientalistas. Tem, no entanto (na minha opinião) o inconveniente de fazer parte de uma igreja bastante rígida, o que me faz temer sobre a capacidade que teria um eventual governo comandado por ela de avançar em questões fundamentais como os direitos dos homossexuais, a descriminalização do aborto ou as pesquisas envolvendo as células tronco.

Ouço e leio alguns argumentos para não votar em Dilma, argumentos que me parecem inconsistentes, distorcidos, precários ou simplesmente falsos. Passo a analisar os dez mais freqüentes.
1. “Alternância no poder é bom”.

Falso. O sentido da democracia não é a alternância no poder e sim a escolha, pela maioria, da melhor proposta de governo, levando-se em conta o conhecimento que o eleitor tem dos candidatos e seus grupo políticos, o que dizem pretender fazer e, principalmente, o que fizeram quando exerceram o poder. Ninguém pode defender seriamente a idéia de que seria boa a alternância entre a recessão e o desenvolvimento, entre o desemprego e a geração de empregos, entre o arrocho salarial e o aumento do poder aquisitivo da população, entre a distribuição e a concentração da riqueza. Se a alternância no poder fosse um valor em si não precisaria haver eleição e muito menos deveria haver a possibilidade de reeleição.
2. “Não há mais diferença entre direita e esquerda”.

Falso. Esquerda e direita são posições relativas, não absolutas. A esquerda é, desde a sua origem, a posição política que tem por objetivo a diminuição das desigualdades sociais, a distribuição da riqueza, a inserção social dos desfavorecidos. As conquistas necessárias para se atingir estes objetivos mudam com o tempo. Hoje, ser de esquerda significa defender o fortalecimento do estado como garantidor do bem-estar social, regulador do mercado, promotor do desenvolvimento e da distribuição de riqueza, tudo isso numa sociedade democrática com plena liberdade de expressão e ampla defesa das minorias. O complexo (e confuso) sistema político brasileiro exige que os vários partidos se reúnam em coligações que lhes garantam maioria parlamentar, sem a qual o país se torna ingovernável...

A candidatura de Dilma tem o apoio de políticos que jamais poderiam ser chamados de “esquerdistas”, como Sarney, Collor ou Renan Calheiros, lideranças regionais que se abrigam principalmente no PMDB, partido de espectro ideológico muito amplo. José Serra tem o apoio majoritário da direita e da extrema-direita reunida no DEM (2), da “direita” do PMDB, além do PTB, PPS e outros pequenos partidos de direita: Roberto Jefferson, Jorge Bornhausen, ACM Netto, Orestes Quércia, Heráclito Fortes, Roberto Freire, Demóstenes Torres, Álvaro Dias, Arthur Virgílio, Agripino Maia, Joaquim Roriz, Marconi Pirilo, Ronaldo Caiado, Katia Abreu, André Pucinelli, são todos de direita e todos serristas, isso para não falar no folclórico Índio da Costa, vice de Serra. Comparado com Agripino Maia ou Jorge Bornhausen, José Sarney é Che Guevara.
3. “Dilma não é simpática”.
Argumento precário e totalmente subjetivo. Precário porque a simpatia não é, ou não deveria ser, um atributo fundamental para o bom governante. Subjetivo, porque o quesito “simpatia” depende totalmente do gosto do freguês. Na minha opinião, por exemplo, é difícil encontrar alguém na vida pública que seja mais antipático que José Serra, embora ele talvez tenha sido um bom governante de seu estado. Sua arrogância com quem lhe faz críticas, seu destempero e prepotência com jornalistas, especialmente com as mulheres, chega a ser revoltante.

4. “Dilma não tem experiência”.
Argumento inconsistente. Dilma foi secretária de estado, foi ministra de Minas e Energia e da Casa Civil, fez parte do conselho da Petrobras, gerenciou com eficiência os gigantescos investimentos do PAC, dos programas de habitação popular e eletrificação rural. Dilma tem muito mais experiência administrativa, por exemplo, do que tinha o Lula, que só tinha sido parlamentar, nunca tinha administrado um orçamento, e está fazendo um bom governo.

5. “Dilma foi terrorista”.
Argumento em parte falso, em parte distorcido. Falso, porque não há qualquer prova de que Dilma tenha tomado parte de ações “terroristas”. Distorcido, porque é fato que Dilma fez parte de grupos de resistência à ditadura militar, do que deve se orgulhar, e que este grupo praticou ações armadas, o que pode (ou não) ser condenável. José Serra também fez parte de um grupo de resistência à ditadura, a AP (Ação Popular), que também praticou ações armadas, das quais Serra não tomou parte. Muitos jovens que participaram de grupos de resistência à ditadura hoje participam da vida democrática como candidatos. Alguns, como Fernando Gabeira, participaram ativamente de seqüestros, assaltos a banco e ações armadas. A luta daqueles jovens, mesmo que por meios discutíveis, ajudou a restabelecer a democracia no país e deveria ser motivo de orgulho, não de vergonha.

6. “As coisas boas do governo petista começaram no governo tucano”.
Falso. Todo governo herda políticas e programas do governo anterior, políticas que pode manter, transformar, ampliar, reduzir ou encerrar. O governo FHC herdou do governo Itamar o real, o programa dos genéricos, o FAT, o programa de combate a AIDS. Teve o mérito de manter e aperfeiçoá-los, desenvolvê-los, ampliá-los. O governo Lula herdou do governo FHC, por exemplo, vários programas de assistência social. Teve o mérito de unificá-los e ampliá-los, criando o Bolsa Família. De qualquer maneira, os resultados do governo Lula são tão superiores aos do governo FHC que o debate “quem começou o quê” torna-se irrelevante.

7. “Serra vai moralizar a política”.
Argumento inconsistente. Nos oito anos de governo tucano-pefelista - no qual José Serra ocupou papel de destaque, sendo escolhido para suceder FHC - foram inúmeros os casos de corrupção, um deles no próprio Ministério da Saúde, comandado por Serra, o superfaturamento de ambulâncias investigado pela “Operação Sanguessuga”. Se considerarmos o volume de dinheiro público desviado para destinos nebulosos e paraísos fiscais nas privatizações e o auxílio luxuoso aos banqueiros falidos, o governo tucano talvez tenha sido o mais corrupto da história do país. Ao contrário do que aconteceu no governo Lula, a corrupção no governo FHC não foi investigada por nenhuma CPI, todas sepultadas pela maioria parlamentar da coligação PSDB-PFL. O procurador da república ficou conhecido com “engavetador da república”, tal a quantidade de investigações criminais que morreram em suas mãos. O esquema de financiamento eleitoral batizado de “mensalão” foi criado pelo presidente nacional do PSDB, senador Eduardo Azeredo, hoje réu em processo criminal. O governador José Roberto Arruda, do DEM, era o principal candidato ao posto de vice-presidente na chapa de Serra, até ser preso por corrupção no “mensalão do DEM”. Roberto Jefferson, réu confesso do mensalão petista, hoje apóia José Serra. Todos estes fatos, incontestáveis, não indicam que um eventual governo Serra poderia ser mais eficiente no combate à corrupção do que seria um governo Dilma, ao contrário.

8. “O PT apóia as FARC”.
Argumento falso. É fato que, no passado, as FARC ensaiaram uma tentativa de institucionalização e buscaram aproximação com o PT, então na oposição, e também com o governo brasileiro, através de contatos com o líder do governo tucano, Arthur Virgílio. Estes contatos foram rompidos com a radicalização da guerrilha na Colômbia e nunca foram retomados, a não ser nos delírios da imprensa de extrema-direita. A relação entre o governo brasileiro e os governos estabelecidos de vários países deve estar acima de divergências ideológicas, num princípio básico da diplomacia, o da auto-determinação dos povos. Não há notícias, por exemplo, de capitalistas brasileiros que defendam o rompimento das relações com a China, um dos nossos maiores parceiros comerciais, por se tratar de uma ditadura. Ou alguém acha que a China é um país democrático?

9. “O PT censura a imprensa”.
Argumento falso. Em seus oito anos de governo o presidente Lula enfrentou a oposição feroz e constante dos principais veículos da antiga imprensa. Esta oposição foi explicitada pela presidente da Associação Nacional de Jornais (ANJ) que declarou que seus filiados assumiram “a posição oposicionista (sic) deste país”. Não há registro de um único caso de censura à imprensa por parte do governo Lula. O que há, frequentemente, é a queixa dos órgãos de imprensa sobre tentativas da sociedade e do governo, a exemplo do que acontece em todos os países democráticos do mundo, de regulamentar a atividade da mídia.

10. Os jornais, a televisão e as revistas falam muito mal da Dilma e muito bem do Serra”.
Isso é verdade. E mais um bom motivo para votar nela e não nele.



(1) ALGUNS DADOS COMPARATIVOS DOS GOVERNOS DILMA/LULA FHA/SERRA.

Geração de empregos com carteira asinada:
FHC/Serra = 780 mil x Lula/Dilma = 12 milhões

Salário mínimo:
FHC/Serra = 64 dólares x Lula/Dilma = 290 dólares

Mobilidade social (brasileiros que deixaram a linha da pobreza):
FHC/Serra = 2 milhões x Lula/Dilma = 27 milhões

Risco Brasil:
FHC/Serra = 2.700 pontos x Lula/Dilma = 200 pontos

Dólar:
FHC/Serra = R$ 3,00 x Lula/Dilma = R$ 1,78

Reservas cambiais:
FHC/Serra = menos 185 bilhões de dólares x Lula/Dilma = mais 239 bilhões de dólares

Relação crédito/PIB:
FHC/Serra = 14% x Lula/Dilma = 34%

Inflação:
FHC/Serra =12,5% (2002) x Lula/Dilma = 4,7% (2009)

Produção de automóveis:
FHC/Serra = queda de 20% x Lula/Dilma = aumento de 30%

Taxa de juros:
FHC/Serra = 27% x Lula/Dilma = 10,75%


(2) Elio Gaspari, na Folha de S.Paulo de 25.07.10:

"José Serra começou sua campanha dizendo: "Não aceito o raciocínio do nós contra eles", e em apenas dois meses viu-se lançado pelo seu colega de chapa numa discussão em torno das ligações do PT com as Farc e o narcotráfico. Caso típico de rabo que abanou o cachorro. O destempero de Indio da Costa tem método. Se Tupã ajudar Serra a vencer a eleição, o DEM volta ao poder. Se prejudicar, ajudando Dilma Rousseff, o PSDB sairá da campanha com a identidade estilhaçada. Já o DEM, que entrou na disputa com o cocar do seu mensalão, sairá brandindo o tacape do conservadorismo feroz que renasceu em diversos países, sobretudo nos Estados Unidos".

Aah...! É domingo... Vamos de poesia?


    Melancolia
    Quem
    (diante do sol e dos luares,
    do olho no olho do mar e do infinito,
    dos equinócios, das guerras
    dos decretos,
    da floração noturna das estrelas,
    das epopéias do progresso, das quimeras
    que ardem na lareira do desejo,
    da súbita epifania da encantaria
    submersa na linguagem-rio)
    quem há de perceber em mim
    (grão de poeira
    na infinitamente azul ampulheta de Deus)
    este botão de amor tombando no poema
    depois que o abandonaste no meu peito?

(João de Jesus Paes Loureiro)

Essa aqui, vem lá das margens do rio Marautaí; pertence a lavra desse poeta abaetetubense,




sexta-feira, 13 de agosto de 2010

MUITO CUIDADO....TODA PRUDÊNCIA É POUCO

Sexta-feira 13: reza a antiga e mística lenda,que elas podem estar soltas por uma fresta deste dia... Por isso é sempre bom tomar um bom banho de 'pião rôcho' com 'abre-caminho' alecrim e folhas tenras de arruda (opss!!!) que são vendidas nas melhores e mais bem afamadas barracas de ervas do nosso centenário e lindo Ver-o-Peso...

Eu, não acredito mas..., que las brujas existem,existem...!
(hablosolomente de la má suerte)

ODEIO QUEM NÃO TOMA PARTIDO...



Os Indiferentes
Antonio Gramsci
11 de Fevereiro de 1917

Odeio os indiferentes. Como Friederich Hebbel acredito que "viver significa tomar partido". Não podem existir os apenas homens, estranhos à cidade. Quem verdadeiramente vive não pode deixar de ser cidadão, e partidário. Indiferença é abulia, parasitismo, covardia, não é vida. Por isso odeio os indiferentes.

A indiferença é o peso morto da história. É a bala de chumbo para o inovador, é a matéria inerte em que se afogam freqüentemente os entusiasmos mais esplendorosos, é o fosso que circunda a velha cidade e a defende melhor do que as mais sólidas muralhas, melhor do que o peito dos seus guerreiros, porque engole nos seus sorvedouros de lama os assaltantes, os dizima e desencoraja e às vezes, os leva a desistir de gesta heróica.

A indiferença atua poderosamente na história. Atua passivamente, mas atua. É a fatalidade; e aquilo com que não se pode contar; é aquilo que confunde os programas, que destrói os planos mesmo os mais bem construídos; é a matéria bruta que se revolta contra a inteligência e a sufoca.

O que acontece, o mal que se abate sobre todos, o possível bem que um ato heróico (de valor universal) pode gerar, não se fica a dever tanto à iniciativa dos poucos que atuam quanto à indiferença, ao absentismo dos outros que são muitos.

O que acontece, não acontece tanto porque alguns querem que aconteça quanto porque a massa dos homens abdica da sua vontade, deixa fazer, deixa enrolar os nós que, depois, só a espada pode desfazer, deixa promulgar leis que depois só a revolta fará anular, deixa subir ao poder homens que, depois, só uma sublevação poderá derrubar.

A fatalidade, que parece dominar a história, não é mais do que a aparência ilusória desta indiferença, deste absentismo. Há fatos que amadurecem na sombra, porque poucas mãos, sem qualquer controle a vigiá-las, tecem a teia da vida coletiva, e a massa não sabe, porque não se preocupa com isso.

Os destinos de uma época são manipulados de acordo com visões limitadas e com fins imediatos, de acordo com ambições e paixões pessoais de pequenos grupos ativos, e a massa dos homens não se preocupa com isso.

Mas os fatos que amadureceram vêm à superfície; o tecido feito na sombra chega ao seu fim, e então parece ser a fatalidade a arrastar tudo e todos, parece que a história não é mais do que um gigantesco fenômeno natural, uma erupção, um terremoto, de que são todos vítimas, o que quis e o que não quis, quem sabia e quem não sabia, quem se mostrou ativo e quem foi indiferente.

Estes então zangam-se, queriam eximir-se às conseqüências, quereriam que se visse que não deram o seu aval, que não são responsáveis. Alguns choramingam piedosamente, outros blasfemam obscenamente, mas nenhum ou poucos põem esta questão: se eu tivesse também cumprido o meu dever, se tivesse procurado fazer valer a minha vontade, o meu parecer, teria sucedido o que sucedeu?

Mas nenhum ou poucos atribuem à sua indiferença, ao seu cepticismo, ao fato de não ter dado o seu braço e a sua atividade àqueles grupos de cidadãos que, precisamente para evitarem esse mal combatiam (com o propósito) de procurar o tal bem (que) pretendiam.


A maior parte deles, porém, perante fatos consumados prefere falar de insucessos ideais, de programas definitivamente desmoronados e de outras brincadeiras semelhantes. Recomeçam assim a falta de qualquer responsabilidade.

E não por não verem claramente as coisas, e, por vezes, não serem capazes de perspectivar excelentes soluções para os problemas mais urgentes, ou para aqueles que, embora requerendo uma ampla preparação e tempo, são todavia igualmente urgentes.

Mas essas soluções são belissimamente infecundas; mas esse contributo para a vida coletiva não é animado por qualquer luz moral; é produto da curiosidade intelectual, não do pungente sentido de uma responsabilidade histórica que quer que todos sejam ativos na vida, que não admite agnosticismos e indiferenças de nenhum gênero.


Odeio os indiferentes também, porque me provocam tédio as suas lamúrias de eternos inocentes. Peço contas a todos eles pela maneira como cumpriram a tarefa que a vida lhes impôs e impõe quotidianamente, do que fizeram e sobretudo do que não fizeram. E sinto que posso ser inexorável, que não devo desperdiçar a minha compaixão, que não posso repartir com eles as minhas lágrimas.

Sou militante, estou vivo, sinto nas consciências viris dos que estão comigo pulsar a atividade da cidade futura que estamos a construir. Nessa cidade, a cadeia social não pesará sobre um número reduzido, qualquer coisa que aconteça nela não será devido ao acaso, à fatalidade, mas sim à inteligência dos cidadãos.

Ninguém estará à janela a olhar enquanto um pequeno grupo se sacrifica, se imola no sacrifício. E não haverá quem esteja à janela emboscado, e que pretenda usufruir do pouco bem que a atividade de um pequeno grupo tenta realizar e afogue a sua desilusão vituperando o sacrificado, porque não conseguiu o seu intento.


Vivo, sou militante. Por isso odeio quem não toma partido, odeio os indiferentes.

Primeira Edição: La Città Futura, 11-2-1917
Origem da presente Transcrição: Texto retirado do livro Convite à Leitura de Gramsci"
Tradução: Pedro Celso Uchôa Cavalcanti.
Transcrição de: Alexandre Linares para o Marxists Internet Archive
HTML de: Fernando A. S. Araújo
Direitos de Reprodução: Marxists Internet Archive (marxists.org), 2005. A cópia ou distribuição deste documento é livre e indefinidamente garantida nos termos da GNU Free Documentation License

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

DIA 03 DE OUTUBRO, PUXE A DESCARGA: VOTE SOMENTE EM CANDIDATO FICHA LIMPA!






"Há instantes em que somos senhores de nosso destino". (Shakespeare).

28 DE AGOSTO:47 ANOS DA MARCHA REVOLUCIONÁRIA DE KING SOBRE WASHINGTON

O MVIVA LEMBRA: NO DIA 28 DE AGOSTO PRÓXIMO, FAZEM 47 ANOS DA "MARCHA SOBRE WASHINGTON" COMANDADA PELO LÍDER NEGRO MARTIN LUTHER KING. AINDA HOJE, ECOA, RUMO AO INFINITO DE TODAS AS POSSÍVEIS GERAÇÕES, AS PALAVRAS DESTE HERÓI DESTEMIDO E NÃO REACIONÁRIO,QUE NÃO SE INTIMIDOU,FEZ A GUERRA CONTRA A INJUSTIÇA INSTRUMENTALIZANDO A ESPERANÇA E PREGOU A PAZ. OUÇAM,VEJAM E ,SE EMOCIONEM, PRA VALER... !

O CRISTO NEGRO DA MPB

COISA FINA: WILSON SIMONAL, AQUELE QUE FOI ATROZMENTE LINCHADO PELA PARTE ESTÚPIDA QUE COMPUNHA A ESQUERDA BRASILEIRA NOS ANOS DE CHUMBO, FEZ O SEU TRIBUTO AO DR. MARTIN LUTHER KING. OUÇAM, COM BASTANTE ATENÇÃO A LETRA E CURTAM A MELODIA QUE, ALEM DE GENIAL É ATUALÍSSIMA! APESAR DE TODA MAQUILAGEM MIDIÁTICA REFERENTE AO PRECONCEITO RACIAL, AINDA MUITO VIVO EM NOSSO BRASIL...

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

CONVITE DE PRIMEIRÍSSIMA...!



Olá, amigos e leitores do MVIVA ... Estou no Café com arte às quintas feiras deste mes de agosto, sempre às 21:00hs;Letícia Secco Trio.

Extraordináriamente, no dia 15 de agosto, estaremos às 12:30 na praça de alimentação do castanheira. No repertório muito jazz, blues e bossa nova.

Um forte abraço
!

Letícia Secco

domingo, 8 de agosto de 2010

A Amazônia canta pelos pulmões da diva La Saavedra.

Quem já a ouviu sabe muito bem de quem estou falando: Ligia Saavedra e considerada a nossa Billy Holliday no Tucupi.Visitem seu blog.Tranta-se de uma das melhores cantoras da Amazônia!

SERRANDO A BIOGRAFIA

ASSISTAM, E PODEM CONFERIR NO DIA 04.10.10 d.c. !

AS MULHERES DO BRASIL NO DIA DOS PAIS

NESTE DIA DOS PAIS O MVIVA, ORGULHOSAMENTE, FAZ UMA HOMENAGEM AS MULHERES DO BRASIL,AFINAL,SEM ELAS, NÃO HAVERIA O DIA DOS PAIS.ASSISTAM, É MUITO LINDO! E SEJAM MUITO,MAIS MUITO FELIZES!!!

sábado, 7 de agosto de 2010

CONTRA UM MAL CHAMADO GUERRA !











REFLITAM COM A MERCEDES...

Como hoje é sabado,o MVIVA apresenta orgulhosamente esta linda mensagem aos seus leitores que menciona bomba atômica americana lançada sobre o Japão. Curtam bastante,reflitam e, tenham um exelente final de semana, gigante de boas novidades...!

VOX POPULI: ELEIÇÃO ACABA ANTES DE COMEÇAR...



Vox Populi: Dilma deverá abrir 12 pontos de vantagem sobre Serra

"Conversei agora com João Francisco Meira, diretor-presidente do Vox Populi. A próxima pesquisa sairá no fim de semana. Sua avaliação é que Dilma abrirá “12 pontos para cima” sobre José Serra".

Por Luis Nassif, em seu blog.

Desde março João Francisco vem alertando que a eleição iria acabar antes de começar. "Se olhar com olhar que tem uma teoria explicativa por trás do processo, vai entender o que está acontecendo", explica ele.

Há cinco fatores determinantes nessas eleições, que dificilmente serão alterados até o dia da votação:

1) Satisfação com a situação econômica pessoal: 78% das pessoas satisfeitas ou muito.

2) Satisfação com a maneira como governo está governando: quase 80% aprovam governo.

3) Admiração pelo presidente da República: 84%.

4) Identidade partidária: 25% das pessoas são PT. Os outros todos somados dão o tamanho do PT. E metade da população não tem partido mas rejeita o PT.

5) Diferença de tempo na TV: Dilma quase 40% a mais. Portanto, domínio sobre a variável campanha. Campanha é só tempo, diz ele. Não precisa entrar em discussão sobre competência, porque tem competência dos dois lados.
Esses fatores são constantes e dificilmente serão mudados até lá. Nem todas as eleições são assim, explica João Francisco, mas essa é.

As alterações que puderem ocorrer no resultado serão a favor de Dilma. Antes da pesquisa Sensus (que ele ainda não tivera tempo de analisar), 16% do eleitorado não sabiam sequer quem era a candidata de Lula. Cerca de 20% do eleitorado com tendência a votar em Dilma ainda não a conhece. Pode ser que nem apareçam para votar — dado o nível de desinformação a esta altura do campeonato. Mas, se aparecerem, votarão na Dilma.

Essas tendências são corroboradas na tabela do cientista social Marcos Figueiredo, que traça a média e projeta as pesquisas dos quatro principais institutos — Ibope, Sensus, Vox e Datafolha. João Francisco não recomenda a tabela do Estadão — que também trabalha com a média. A do Estadão recorre a uma regressão linear para projetar resultados, quando o correto — como faz Figueiredo — é a progressão logarítima.

Para João Francisco, entre os institutos de pesquisa a única incógnita é o Datafolha. Se persistir na sua base amostral atual, só daqui um mês estará em linha com os demais institutos – quando o nível de informação dos eleitores estiver nivelado. Se incluir os partidos dos candidatos no questionário, Dilma poderá ganhar dois pontos a mais. Mas, se não mudar a base amostral, ainda pagará mico por mais um mês.


Fonte:Vermelho

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

SRA. PRESIDENTE DILMA DO BRASIL...!


Presidente do Ibope prevê avanço de Dilma e vitória no 1º turno

O presidente do Ibope, Carlos Augusto Montenegro, acredita que a próxima pesquisa do instituto deverá dar uma diferença de oito a dez pontos percentuais de vantagem para a candidata Dilma Rousseff, da coligação Para o Brasil Seguir Mudando. A informação é do blog do jornalista Luis Nassif.

Segundo Nassif, as apostas de Montenegro não pararam por aí. O presidente do Ibope crê que “a eleição para presidente será decidida no primeiro turno” — e que “as próximas pesquisas do Datafolha deverão convergir para os resultados dos demais institutos”. Também em sua opinião, “o fato de a Globo marcar transmissão de jogo para o horário do debate político da Bandeirantes é sinal de que ela não acredita mais que a exposição dos candidatos será positiva para José Serra”.

As opiniões de Montenegro vêm a público às vésperas da divulgação de mais uma rodada de pesquisa para a corrida presidencial. Nesta quinta-feira (5), a Confederação Nacional do Transporte divulga em Brasília mais um levantamento CNT/Sensus sobre a sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Já na sexta-feira ou no fim de semana, em mais uma parceria com o jornal O Estado de S. Paulo e a TV Globo, o Ibope revela nova pesquisa para a corrida ao Planalto, após consulta com 2.506 eleitores. No levantamento anterior, Dilma Rousseff apareceu cinco pontos percentuais à frente do candidato demo-tucano, José Serra — 39% a 34%

André Cintra

PAULO ROCHA: O POVO COMEMORA...!


Paulo Rocha tem candidatura mantida.O seu povo festeja nas ruas...!

O candidato ao senado pelo Partido dos Trabalhadores (PT), Paulo Rocha, finalmente teve sua candidatura deferida -por quatro votos a dois- pelo Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA), em sessão realizada nesta quarta-feira (4).

A impugnação da candidatura do candidato ao senado pelo PMDB, Jader barbalho, ainda encontra-se em julgamento e, segundo especialístas,corre o risco de ser mantida pelo Ministério Público Eleitoral (MPE), baseado na Lei Complementar 135/010 (Ficha Limpa).